segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

O Ano Novo chegou!! E chegou fervendo para quem ainda acredita em responsabilidade social

Meus amigos e ilustres comentaristas que analisam e questionam a sociedade, as empresas e o comportamento humano como um todo. Voltei para o meio dos blogueiros inspirado em Sofia e seu mundo como é, e como deveria ser...

E vou logo polemizando com perguntas banais sobre assuntos complexos, como por exemplo: as empresas estão investindo em responsabilidade social?

Dizem que estão, pois cuidam do meio ambiente como se isso não fosse uma obrigação, fazem a divisão dos lucros no final de ano como um pseudo-socialismo, ajudam creches, asilos e orfanatos para que tenham alguma pauta bacana para publicar no jornalzinho interno, expõe quadros dizendo seus valores, missão e objetivo sempre utilizando as palavras "respeito" e "responsabilidade" numa grande mentira descarada frente aos incrédulos colaboradores que jamais aumentam o seu orgulho pela empresa diante de tais argumentos demagogos.

Praticam responsabilidade social tratando e preservando bicho como se fosse gente, mas tratando gente da própria empresa como se fosse bicho...

Preocupa-me ver mega empresários e fanáticos pelo trabalho executivo ignorar a família e dedicar-se quase que exclusivamente ao whiski e ao trabalho, e esperar que seus diretores, gerentes, consultores, coordenadores façam o mesmo.

Praticam responsabilidade social por aí, mas não cuidam da saúde física e mental da própria equipe...

E os governos, como tratam a responsabilidade social? Tratam como se isso fosse uma brincadeira, divulgando trabalhos sociais (elementares) realizados apenas para parte da população. Sabem quantas pessoas iniciam seus trabalhos após as 16h em bares, restaurantes, shoppings, hotéis, transporte coletivo e dezenas de outros empregos? Imaginem só, pagam imposto como as outras que entram às 8h, mas não recebem o mesmo direito. Onde ficam os filhos de quem trabalha após as 16h? Nas creches noturnas (existe isso??) ou na casa da sogra? E as empresas, preocupam-se com a família de quem trabalha nesse horário e chega em casa às 2h da manhã?

Praticam responsabilidade social por aí, mas não cuidam da família dos próprios colaboradores...

Portanto, meus amigos, falam do meio ambiente, da sociedade carente, da terceira idade atendida, mas não cuidam da qualidade de vida de quem está dentro da própria cozinha!

Se as empresas cuidassem de seus funcionários, apoiassem para a solução dos seus problemas e provessem recursos para que o horário de trabalho fosse preenchido despreocupado dos problemas que ficaram em casa, com certeza muitos dos projetos desenvolvidos na área de responsabilidade, inclusive pelo governo, seriam desnecessários. E a mão de obra seria muito mais bem aproveitada e dedicada.

Cuidando da essência dos problemas humanos, todo o resto se ajeita e menos se gasta com campanhas fúteis para mostrar pessoas sorrindo e se abraçando para mostrar o bom coração de quem nunca pergutou a um funcionário "como vai sua família?".