sábado, 3 de julho de 2010

Seleção brasileira pode afastar patrocinadores do futebol


É nítido e claro que a seleção entregou o jogo no segundo tempo contra a Holanda, e isso não é coisa que um time com a tradição e força da seleção brasileira deixe acontecer numa quarta de final de Copa do Mundo.

Se eu fosse um dos patrocinadores, como Itaú, Extra, Vivo, Seara, Volkswagen e Ambev, pediria à CBF reparação por prejuízo institucional à marca, pois é uma vergonha estampar a camisa de uma farsa e ser conivente com essa palhaçada, fazendo propaganda e divulgando seu apoio à seleção. Apóiam essa seleção? Suas marcas combinam com o que apresentou nossa seleção em campo?

Nem ia comentar nada sobre a desclassificação do Brasil, não merecem que eu perca meu tempo com eles, mas precisava de um desabafo de conteúdo empresarial para questionar: a atitude da seleção brasileira não cria uma mancha na ferramenta de comunicação chamada Marketing Esportivo?

A postura da seleção não pode afastar os patrocinadores do futebol brasileiro e promover uma queda de qualidade técnica no esporte que é a paixão nacional? Nossos campeonatos vão ficar com menos dinheiro, reter e contratar menos craques e vamos entrar naquele clima de ressaca, dependendo de descartes do velho mundo para tentar promover algum espetáculo nas quatro linhas de nossos estádios.

Futebol é negócio, depende de dinheiro dos outros, e se nós tirarmos o seu brilho o negócio deixará de ser interessante para quem investe nele... e as consequências disso é o futebolzinho xôxo e sem graça que já tivemos o desprazer de ver tantas vezes por aqui.

Saudações a todos, e que vença essa Copa quem tem mais brio!!!