quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Seu emprego é estável? Então troque de emprego!

Dizem que trocar demais de emprego é como pular de galho em galho, é falta de foco ou até coisa de mercenário. Chame isso do que quiser, mas eu chamo de "crescimento planejado". Desde que, é claro, venha de uma política de crescimento, um plano de carreira e de vida bem traçados.

Então eu te farei uma pergunta para ajudá-lo a compreender o propósito desse post, onde bastará responder SIM ou NÃO.

1 - Por que você está no mesmo emprego a 3 anos? Sugestão de respostas:

a) Porque ele me oferece plano de carreira, já subi pelo menos 2 deguaus e há espaço para subir mais um. 
(  ) SIM (  ) NÃO

b) Porque ele investe no próprio crescimento e no meu desenvolvimento profissional, permitindo-me promover melhores resultados à companhia e realizar cursos de especialização frequentes em minha área de atuação. 
(  ) SIM (  ) NÃO

c) Porque ele possui planos de incentivos onde posso conquistar melhores remunerações de acordo com minha produtividade ou aquilo que ofereço para o crecimento da empresa. 
(  ) SIM (  ) NÃO 

Se você respondeu NÃO às três sugestões de resposta, cuidado! Você pode estar ficando obsoleto e mal pago no mercado de trabalho...

E como saber se você está mesmo ficando obsoleto após 3 anos na mesma empresa? Vou propor-lhe uma análise ainda mais simples: pegue o seu currículo e escreva no item onde cita a sua atividade atual, quais atividades realizou desde seu início até a data atual. E mais um detalhe: descreva que benefícios você proporcionou à empresa através de seu trabalho em cada uma dessas atividades.

O objetivo dessa análise é saber se o que você fez poderia ser feito facilmente por qualquer outra pessoa ou se você apresentou algum diferencial profissional que possa despertar o interesse de um próximo empregador que leia o seu currículo.

Nesse momento você deve estar sentindo uma palpitação desagradável no seu coração, o que pode sinalizar que bateu aquela preocupação sobre a relevância do que você faz e sua empregabilidade. De fato, é bom preocupar-se, pois a fila de entrevistas para um emprego está cheia de pessoas que deram pouca importância ao seu futuro e se apegaram ao seu presente, como se essa atividade fosse durar para sempre.

Por isso é que tenho escrito tanto sobre o Plano de Carreira, para que você se preocupe com sua empregabilidade no futuro e tome medidas pontuais enquanto ainda está em tempo de desenvolver-se, melhorando sua qualificação, remuneração e competitividade para ser aprovado nas entrevistas. Não queira parecer um profissional acomodado e chorão que só busca estabilidade e vive a implorar por um aumento salarial.

Trocar de emprego com a frequência média de 3 anos não é ruim, desde que você tenha como justificativa uma negativa a umas das 3 respostas à pergunta que fiz lá no começo, ou quem sabe alguma outra de âmbito pessoal que não seja uma razão fútil do tipo "enjoei-me daquele trabalho", ou então "estava cansado de tanto trabalhar".

Cuide de sua carreira como se fosse a saúde de sua mãe ou de seus filhos. Tem coisas que quando se perde, não se recupera facilmente... uma delas é o seu emprego.

E lembre-se: sorte é estar qualificado para aproveitar uma boa oportunidade quando ela lhe aparecer.

Siga em frente, e Sucesso!!