segunda-feira, 27 de junho de 2011

O profissional maior de 40 está fora do mercado de trabalho?!

Essa semana participei de um fórum com a seguinte pergunta: O profissional maior de 40 anos está realmente inapto ao mercado de trabalho? Deixei o seguinte ponto de vista:

"Eu acho difícil generalizar. Conquistar ou não um emprego é uma questão de marketing: se você conseguir vender sua mão de obra oferecendo aquilo que o contratador procura, não importa a sua idade, será capaz de conquistar o emprego. Mas se alguém tiver mais a oferecer, ou souber vender-se melhor com seu conteúdo, experiências curriculares e competências, perfil pessoal, empatia com o recrutador e afinidade com o perfil da vaga, esse sim conquistará o emprego, também independente da idade.

O que os profissionais não podem esquecer-se é que centenas de novos empreendedores de tenra idade estão surgindo por aí, e sua escala de valores para contratar pessoas é diferente dos antigos empresários. Sua visão e percepção de negócio e colaborador é diferente. Com isso, os "quarentões" também precisam estar preparados para falar não somente a linguagem da experiência do passado, mas também a de necessidades do presente e a de possibilidades do futuro...

Eu sou contra essa ideia de que "quarentões" não conseguem emprego. Acredito sim é na capacidade de oferecer resultados, no dinamismo e numa série de atributos que cada função demanda dos profissionais. O fato é que muitos profissionais antigos batem sempre na mesma tecla: na sua experiência. O mercado atual não vê com bons olhos a experiência de quem passou 25 anos no mesmo emprego, na mesma empresa. Eu chamo isso, na maioria dos casos, de estagnação. E esses sim, daquela safra de profissionais que sempre lutaram por estabilidade, correm o sério risco de ficarem restritos a cargos concursados e burocráticos. Infelizmente, nem sempre o tempo de serviço significa mais experiência e capacidade de ter um diferencial competitivo. Falta-lhes parâmetros, diferentes pontos de vista e diferentes experiências para a formação de idéias mais generalistas ao invés de uma única ou de poucas culturas organizacionais.

Mas cada pessoa é única, e não há como afirmar o que é regra e o que é exceção, são apenas idéias de um conjunto de informações."

Espero ter contribuído para a discussão em questão.

P.S.: Telê Santana foi campeão do mundo pelo São Paulo aos 61 anos. E se não fosse por motivo de saúde poderia consagrar-se o maior treinador do futebol mundial com mais títulos nacionais e internacionais.