quinta-feira, 9 de junho de 2011

A contradição entre a liberdade de Battisti e a dívida histórica para com os negros do Brasil

Não quero alongar-me muito nesse assunto porque ele me enoja, os critérios da justiça do Brasil.

O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quarta-feira (8) manter a determinação do ex-presidente Lula, que no dia 31 de dezembro do ano passado, negou o pedido de extradição do ex-ativista de esquerda Cesare Battisti. Com isso o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Cezar Peluso, assinou na noite desta quarta-feira o alvará de soltura.

Ex- integrante do grupo Proletários Armados para o Comunismo (PAC), Battisti foi acusado de quatro assassinatos, ocorridos na Itália, durante a luta armada na década de 70, e condenado à prisão perpétua em seu país de origem. Ele sempre negou ter sido o autor do crime. Argumentava que sofria perseguição política na Itália.

O que mais me indignou nesse epísódio foram os argumentos de defesa do italiano. Vejam só isso:

Estou invocando o argumento moral da anistia. (vejam isso, ele disse "argumento moral"). Demos anistia a agentes do estado, a homens que torturaram meninas e meninos de 18 anos com choques nas vaginas, no pênis e no ânus, antes de os jogarem de aviões. Se nós demos a anistia a todos, é não só moralmente legítimo, como moralmente desejável, que o presidente da República do Brasil não venha punir no Brasil pessoas que aqui estão por fatos que nós tomamos a decisão política de não punir”, afirmou o advogado Luís Roberto Barroso.

Barroso afirmou ainda que extraditar Battisti seria uma “vingança histórica”. “Volto a esta tribuna para tentar impedir a consumação de uma vingança histórica tardia, injusta que significaria enviar para a prisão um homem de cerca de 60 anos para morrer no cárcere”, disse a defesa do ex-ativista. É claro, pois lá na Itália, certamente o criminoso PAGA por seus crimes (com excessão de Silvio Berlusconi e suas andanças com garotinhas...)

Battisti entrou no Brasil com passaporte falso, e em breve deverá receber documentação legal e visto permanente para viver no Brasil. E os argumentos usados pelos advogados de defesa foram as barbaridades cometidas no passado e anistiadas no presente. Acorda Presidente!!!

Mas isso não é tudo o que me incomoda. Que no Brasil a lei é motivo de piada, todos nós já sabemos. Mas ter dado anistia aos torturadores da época da repressão militar significa negar o pagamento de uma dívida social histórica para com as famílias da vítimas! Se o tratamento a essa "dívida" moral é dado dessa forma, por que é tão valorizado o pagamento da dívida histórica para com os negros através de cotas de emprego, faculdade, etc, lesando outras pessoas de outras etnias que porventura frequentam as mesmas escolas e "gozam" dos mesmos direitos de qualquer cidadão brasileiro de baixa renda com o que há de pior em serviço de saúde, saneamento, moradia e educação? Pedir punição à igreja Católica por ter torturado e matado tanta gente na época da Inquisição e do Tribunal do Santo Ofício então, nem pensar...

O Brasil é pura contradição, terra de coronéis, da inconsistência ideológica e definitivamente da impunidade. Isso quase mata-me de vergonha...

* Foto do Jornal de Santa Catarina da matéria: Parlamentares demonstram apoio a Cesare Battisti no presídio da Papuda, de 17/11/2009.