terça-feira, 1 de março de 2011

O mercado das futilidades

Outro dia peguei-me criticando pessoas que andam com carros tunados. Pensava: quanta bobagem! O carro original demonstra que não sou fútil, e que tenho mais o que fazer e pensar do que ficar gastando dinheiro enfeitando meu carro só para aparecer.

Nesse ponto, alguém dentro de mim despertou e respondeu imediatamente: cara, você como um profissional de marketing deveria saber que o mercado das futilidades, do vício de bebidas e cigarro, do entretenimento, da beleza e da estética são os que mais crescem em um país em desenvolvimento. Isso gera consumo, gera empregos e gera riquezas. O que é futilidade para alguns pode ser a alegria e a satisfação para outros.

E a partir desse dia deixei minha intolerância de lado, e mesmo aproveitando em todos os anos o carnaval (festa que desprezo) para acampar no silêncio das montanhas, parei de criticá-lo. Pois na diversão e na futilidade de alguns, pode estar presente a oportunidade do ganha pão de outros…