sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Diet Pepsi fica "magérrima" e provoca polêmica

Alguns dizem que ser magra é o certo. Outros dizem que NÃO ser magra é ser feliz. Outros dizem que ser magra demais é doença. Outros dizem que ser magra é ser bonita. Eu digo que gosto não se discute... se lamenta. Se todo mundo gostasse do Corinthians, por exemplo, aí sim seríamos um bando de loucos, pois não teríamos contra quem torcer, rsrsrs.

Sem mais delongas vamos ao ponto em questão: a Diet Pepsi, a muito tempo com poucos investimentos nos veículos de comunicação de massa, voltou a aparecer nos EUA com um novo produto, ou melhor, com o mesmo produto numa nova embalagem denominada lata Skinny, que no jargão português entendemos como MAGÉRRIMA. A peças publicitárias foram associadas à imagem da modelo e atriz Sofia Vergara, da série Família Moderna.

Segundo Ami Irazabal, diretora de marketing da Pepsi, "o desafio é mostrar que a embalagem é um modo legítimo para se fazer marketing. Às vezes as pessoas pensam em inovação como uma maneira de se mudar o que há dentro (da embalagem). Mas, em minha opinião, a inovação pode ser uma maneira diferente de se celebrar o que está dentro."

Mulher inteligente essa diretora... na percepção mercadológica, considerando a cultura popular plantada pela mídia a respeito do que é padrão de beleza feminina acho que ela acertou em cheio na concepção do novo conceito e no formato da campanha. Mas alguns não gostaram.

Segundo o site m&m online, "A Associação Nacional de Distúrbios Alimentares (NEDA) soltou um press release dizendo "se sentir ofendida" pela ideia. "A Pepsi deveria se envergonhar de declarar que a magreza excessiva é para ser celebrada", afirma Lynn Grefe, presidente e CEO da NEDA. Diversos blogs também condenaram a lata Skinny e um press release da companhia que chamou a lata de "magérrima" e "atraente"."

Ami continua achando que uma coisa não tem nada a ver com a outra, e que o conceito skinny diz respeito apenas à mudança da embalagem para celebrar o que está dentro dela, e não associando o produto à estética feminina. Será?!