quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Pesquisadores afirmam: antes mal acompanhados do que só

Aquele velho provérbio "antes só do que mal acompanhado" acaba de ser destituído. Assistindo na noite de quarta-feira ao Jornal da Globo vi essa matéria que me despertou para algo que parece óbvio.

Segundo o artigo, "o estudo analisou o histórico de saúde de mais de 300 mil idosos que lutavam contra alguma doença grave. Eles foram divididos em dois grupos. O dos que tinham uma rede de relacionamentos e o dos que se declararam sozinhos. O tempo de sobrevida de quem tinha amigos foi 50% maior. Comparando com outros estudos, os pesquisadores concluíram que a solidão é um fator de risco tão grave quando o tabagismo e o alcoolismo. E mais perigoso do que a obesidade e o sedentarismo."

Portanto, meus amigos, mesmo não estando casados ou vivendo com alguém debaixo do mesmo teto, o círculo de amizades e o contato físico com os amigos e familiares não apenas é gostoso... também faz muito bem à sua saúde!

E vou encerrar esse post com a letra de uma música deliciosa de um dos meus poetas favoritos.

Solidão que nada
Cazuza

Cada aeroporto
É um nome num papel
Um novo rosto
Atrás do mesmo véu

Alguém me espera
E adivinha no céu
Que meu novo nome é
Um estranho que me quer

E eu quero tudo
No próximo hotel
Por mar, por terra
Ou via Embratel

Ela é um satélite
E só quer me amar
Mas não há promessas, não
É só um novo lugar 


Viver é bom
Nas curvas da estrada
Solidão, que nada
Viver é bom
Partida e chegada
Solidão, que nada