sexta-feira, 26 de março de 2010

Os Nardoni e as fábulas de Grimm

Quem é que nunca leu uma das histórias das famosas fábulas de Grimm? João e o pé de feijão, Rapunzel... Geralmente místicas, sobrenaturais, muitas vezes personificadas por animais e sempre com algum envolvimento da magia. Essas histórias parecem coisa de criança... mas não são.

Nos dias de hoje, o mesmo encantamento e o mesmo anseio pelo misterioso, pela luta entre o bem e o mal, pela discussão entre o justo e o injusto, o certo e o errado diante de diferentes escalas de valores ainda permeia na mente dos adultos.

Essa é a receita de sucesso do caso Nardoni. Uma princesa foi brutalmente assassinada ou morreu num acidente? Se não foi o próprio pai ou a madrasta (olha ela aí, uma personagem autêntica dos contos de fadas), quem poderia ter sido? E os conselheiros do tirano assassino, não estariam aqui representados pelos advogados de defesa, convictos e fiéis ao seu senhor? E o desejo da massa de plebeus por justiça, que por mais que sofram por aí são impotentes para fazer a justiça que julgam ser a correta, não seria a população que se aglomera diante do fórum com faixas e gritos de protesto, como se soubessem de antemão o culpado pela morte da princesa?

O que quero destacar aqui não é quem está certo ou errado. Mas dizem que a imprensa é sensacionalista, e até concordo. Mas ela está explorando nesse caso, nada mais do que o desejo da mente das pessoas de vivenciar uma fábula real. Dezenas de outros crimes, até mais horrendos, ocorrem diariamente em nosso Brasil, mas não têm o tempero místico da morte de Isabela.

Nas vésperas do ano de 1800, quando viveram os alemães Jacob e Wilhelm Grimm, não existiam as emissoras de TV e nem a internet para potencializar os contos e lendas da época. Mas já era sabido que as pessoas de todas as idades se encantavam pelo misterioso, principalmente na luta entre o bem e o mal, entre o mais forte e o mais fraco... exatamente como está acontecendo hoje com a família Nardoni.

Mas todo esse bafafá não passa de histórias que vão e voltam com diferentes intensidades. Estejam certos de uma coisa: após uma semana do encerramento desse caso, quando tudo já estiver definido, os Nardoni farão parte do passado e só reaparecerão no final do ano na retrospectiva 2010. Aliás, nós não os veremos arrependidos e moribundos numa cela com 50 presos, ou quem sabe no conforto de sua casa na Suiça... veremos apenas a mesma imagem do resultado do julgamento, exatamente como ocorreu nesse mês de março.

Enquanto isso, com esse conto já finalizado, todos voltarão seus olhos para outros problemas tão graves quanto a morte de Isabela, que afligem o coração da sociedade brasileira, como por exemplo, quem será o próximo eliminado do Big Brother Brasil...