quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Correr ou viver? A pressa de hoje é o stress de amanhã

Lendo o blog de Rosely Sayão, comentei num post que achei muito interessante chamado "Apressando a vida", que trata a nossa correria desmedida em nosso dia a dia.

Ao final do texto, ela escreveu "Aonde precisamos chegar com tanta pressa? Ao pensar nessas questões, ocorre-me o personagem do filme "Forrest Gump", que, em determinado momento de sua vida, decide correr. Ele simplesmente corre: sem motivo, sem destino.
Para que não façamos o mesmo, precisamos nos perguntar diariamente: "Por que estou correndo? Será que poderia realizar a mesma coisa com mais calma e melhor?". Desse modo, certamente poderíamos diminuir nosso alto grau de estresse, dedicar mais tempo aos filhos e, assim, ter uma vida melhor com e para eles".

My comment: Incrível o quão real é esse conto, Rosely... mas temos escapatória? Será que conseguiremos dormir um pouco mais que as 4 ou 5 horas por noite e levar a vida com mais apreciação e menos pressa? Parece que o mundo competitivo nos faz correr contra tudo, não apenas no que diz respeito ao nosso trabalho, mas contra nós mesmos para que a cada minuto sejamos melhor que no minuto anterior... e por isso corremos, pois o café, o trânsito, o colinho aos filhos não acrescenta bagagem profissional e nem traz dinheiro. Esse é o preço pago pela sociedade moderna pela insegurança quanto ao dia de amanhã...

Não está na hora de revermos nossos valores e necessidades?!