quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Paz no esporte. Sonho ou Utopia?

No futebol tem se cobrado muito sobre a paz nos estádios, paz entre as torcidas, e paz após os jogos...

Mas após travarem verdadeiras batalhas de egos, os dirigentes são os primeiros a inflamar as próprias torcidas com depoimentos do tipo "depois não reclamem se a torcida quebrar tudo", ou então "preparem-se para segurar os torcedores...", por não concordarem com decisões ou ações programadas pelos dirigentes rivais.

Para defender seus interesses e os interesses inerentes à sua torcida, alguns dirigentes não são capazes de mensurar a força de sua ameaça aos dirigentes rivais, que irão repercutir do lado de fora dos gramados, vitimando aqueles que não frequentam as áreas Vips dos estádios.

Antes de iniciar uma luta pela PAZ é preciso iniciar uma campanha pelo RESPEITO. É preciso respeitar as decisões, as opiniões e as diretivas de cada um.

Estive fazendo parte de um blog esportivo no site do jornal Lance! onde a falta de respeito estava de tal maneira irritante, que muitas pessoas "de bem" que discutiam futebol não se contentavam em criticar opiniões, mas agrediam verbalmente os autores dos textos e dos demais comentaristas.

O problema não é discordar das opiniões, mas estabelecer adjetivos, geralmente grosseiros, aos blogueiros, onde a falta de respeito pessoal começa a fomentar a richa e uma disputa de força e de ofensas de ambas as partes.

Quem não consegue respeitar o próximo não pode se manifestar, pois a falta de argumentos de um cidadão culturalmente mediano pode gerar violência. Você consegue convencer um corinthiano de que ele não é campeão mundial, ou um são-paulino de que ele nunca foi rebaixado, ou um flamenguista de que ele não é penta-campeão brasileiro? Se você não conseguir, respeite... caso contrário é melhor começar a correr.