sexta-feira, 8 de abril de 2011

Temos vagas para borracheiro. Paga-se mal.

Hoje fui levar meu carro no borracheiro para arrumar uma roda que amassou em um dos muito buracos que compõe as pistas de nossa amada cidade e esvaziu o pneu. Nota: segundo o prefeito de Palmas, Sr. Raul, em entrevista à TV, há tempo de laranja, tempo de manga, tempo de piqui e... tempo de buracos. Ele disse isso ao vivo, acredite se quiser...

Mas o objetivo desse texto não é falar de buracos, mas de BORRACHEIROS. Já notaram o quanto é depreciado o valor do serviço dos borracheiros? Por que será? Será devido a baixa necessidade de estudos e conhecimentos técnico-científicos?

Qual é a importância da roda e pneu em perfeito estado no seu carro? É total!! Previne-se acidentes, roda-se mais macio, promove conforto e ainda por cima permite que o veículo saia do lugar. Pode-se rodar sem pára-brisa, sem limpador de pára-brisa, sem lanternas, sem pára-choque, sem luz de freios, sem espelhos, sem capô, sem escapamento, sem amortecedor, e sem uma porção de coisas. Mas não é possível sair do lugar sem roda e pneu...

Então alguém me explique por que é que reparos em uma borracharia custam tão pouco. Porventura a função desses profissionais é de baixa relevância para o veículo?

Talvez porque o mercado esteja mensurando o preço ou valor das coisas pela escala dos conhecimentos agregados ou necessários para a execução de cada trabalho, e não pela importância ou necessidade em si de cada atividade. Se fosse assim, deveria custar mais caro reparar um pneu do que reparar pintura na lataria. Afinal, roda-se com a lataria feia, mas não sem o pneu...