domingo, 17 de abril de 2011

Dicas de um Coaching Caseiro para soluções rápidas

Sabe aquele funcionário que chega atrasado, ou que não demonstra interesse pelo trabalho, ou que perdeu o interesse no passar do meses? Sabe aquele funcionário que você já desistiu dele e pretende demiti-lo? Pois vamos falar aqui sobre uma ferramenta simples que poderá ajudá-lo a recuperar esse trabalhador.

Falamos e lemos muito sobre coaching, mas nem sempre sabemos exatamente o que é isso. O objetivo desse post é ajudá-los a desenvolver um coach relâmpago nas pessoas de suas empresas baseando-se em 3 princípios.

1 - CONHECER: Chame esse funcionário para um local reservado, mas não sua sala, ou uma sala de reuniões. Leve-o a um local onde poderão sentar-se frente a frente sem uma mesa separado-os, criando um clima de informalidade. Comece o bate papo pedindo para conhecê-lo melhor. Pergunte onde vivem e o que fazem seus pais, ou as pessoas que o criaram. Pergunte sobre seus irmãos e o que fazem os que já trabalham. Pergunte sobre sua mulher e filhos, ou sobre sua namorada. Pergunte quais são seus hobbies, o que ele gosta de fazer nas horas e dias de descanso. Pergunte sobre seus sonhos, no que consistem, e se ele já pensou nos caminhos a seguir para conquistá-los. Em seguida pergunte o que o trouxe até essa empresa. Pergunte se ele se considera feliz nesse trabalho. Pergunte se ele gostaria de conhecer e trabalhar em outra função da empresa. Pergunte como ele avalia seus colegas e seu superior imediato. Pergunte se ele gostaria de saber algo sobre a empresa, se gostaria de fazer-lhe alguma pergunta, ou alguma recomendação ou pedido. Finalize o bate papo sem pressa, deixe-o falar a vontade e argumente o mínimo possível, apenas atenha-se em ouvi-lo e oferecer-lhe assuntos para falar, desde que tenham relação com a vida pessoal dele ou ao trabalho. Ao considerar que a conversa já foi suficiente e satisfatória, agradeça a ele por sua paciência e diga que vai analisar tudo isso para ver o que poderá fazer para melhorar ainda mais a relação da empresa com ele. 

2 - CONSTRUIR: após digerir bastante as informações sobre essa pessoa, conversando com alguém de liderança ligado a ele, procure alternativas possíveis para oferecer-lhe no objetivo de melhorar seu interesse e empenho pelo trabalho e pela sua empresa. Não mais que uma semana depois chame-o novamente para novo bate papo, dessa vez para construírem uma nova etapa de trabalho. Exponha a ele sua insatisfação quanto a alguns comportamentos que ele vinha apresentado, e ofereça a ele algumas possibilidades, no sentido "o que você acha se fizéssemos assim...". A Construção tem esse nome porque consiste em desenvolverem juntos uma solução de melhoria, senão chamaria-se Imposição. Por isso é importante que ele perceba que suas opções são discutíveis, e não impostas, e saiba também que está fazendo isso no interesse de continuar com ele na empresa, porém com uma nova postura profissional. Assim, ao construírem juntos um novo projeto bom e viável para ambas as partes, ele se tornará cúmplice da idéia, pois ajudou a construí-la. Seja ela tão básica como uma simples mudança de função, ou complexa quanto a mudança para a filial de outra cidade, o importante é que vocês construam juntos uma solução em que ele possa dar mais de si pela empresa e saiba que será cobrado por resultados após essa mudança. 

3 - CONSOLIDAR: 30 dias após procederem as mudanças acertadas é hora de voltarem a conversar para ver se o projeto está consolidado ou se necessita de novas adaptações. Nesse momento, cabe a você a franqueza de apresentar suas percepções a respeito dele, sejam positivas ou negativas. Daí para a frente é consolidar definitivamente o projeto ou demitir o desinteressado pelo trabalho...

A realização desse processo poderá ajudá-lo a reduzir o turnover da empresa e também a apresentar um relacionamento mais aberto, onde fará sua equipe perceber que há o interesse da empresa por eles como profissionais em um canal transparente e seguro para conversarem sobre o trabalho sem medo.

Muitos são excelentes profissionais exercendo uma função que já não lhes agrada, não os motiva produzir mais e melhor, e que no entanto podem ser melhor aproveitados de outra forma. Mas há aqueles que também não têm recuperação, e que você poderá identificar após esse bate papo e deixar de gastar seu tempo e dinheiro com eles...

Sucesso!!