quarta-feira, 23 de março de 2011

Não almoçou, perdeu um brinquedo

Paciência tem limite, e hoje a minha chegou no ponto máximo. Sabe o que é ficar todos os dias lutando contra uma criança que não consegue parar para almoçar? Essa é minha filha, de 5 anos.

A criança não concentra-se no almoço, não pára o que está fazendo para almoçar. Sentada na mesa distrai-se com qualquer coisa a sua volta, levanta-se o tempo todo, e após engolir cada colherada é preciso que alguém diga "coma" para que ela pegue outra colherada. E assim vai o almoço inteiro.

Se a gente vai dando comida na boca o prato fica limpo, ou seja, não é falta de apetite, nem de fome e nem de vontade da comida servida. Mas se alguém não ficar colocando na boca é preciso ficar lembrando: "coma"; "coma"; "coma"; "coma"... até a hora de sair da mesa para ir à escola.

Acho que passou do momento de acabar com essa chateação todos os dias, pois hoje na hora de sair para a escola o prato ainda estava, mais um vez, pela metade. Levantei, tomei a boneca que ela estava carregando e joguei no porta malas do carro, e disse que de hoje em diante, cada vez que der o horário da escola e ainda tiver comida no prato, vou tirar um brinquedo dela e levar para uma criança qualquer.

Ora, pensando que a filha tem de tudo, bem mais que o necessário, e que coisas importantes não estão recebendo a devida atenção, resolvi tocar num ponto em que ela realmente vai sentir, tirando-lhe aos poucos  os brinquedos que gosta tanto.

Quem sabe assim ela comece a ponderar que o almoço é tão importante quanto o brinquedo, e que ela pode ter as duas coisas se conseguir separar um momento para cada coisa: hora para brincar e hora para comer.

Pronto, desabafei.

E você, tem tido problemas na educação de seus filhos? Pode contribuir aqui com sugestões sobre como educar de forma pacífica e resolver pequenos problemas do dia a dia.

* A criança da foto não é a minha filha, foto meramente ilustrativa.