quarta-feira, 5 de maio de 2010

Eu, meu patrão e meu empregado

Mais do que nunca tenho usado os sábios conselhos de um gerente com quem trabalhei, meu querido amigo Edson Neri, que me dirigiu nos tempos de Coca-Cola, quando me viu em grande conflito profissional e insatisfação com meus companheiros de trabalho.

Ele me disse que cada pessoa encontra-se em diferentes estágios de desenvolvimento pessoal (maturidade) e profissional, o que muitas vezes nos obriga a fazer uma interpretação de cada situação para agir corretamente. Com isso, me ajudou a crescer.

No caso de você ser dirigido por uma pessoa nitidamente inferior a você em algum dos aspectos, a dica é que você dessa alguns degraus para se relacionar melhor com ele, a fim de que você não lhe pareça uma ameaça e seja boicotado como profissional. Colocando-se ao seu lado e agindo a seu modo e semelhança, certamente poderá tornar-se seu braço direito e poderá apoiá-lo para que o trabalho como um todo desenvolva-se com mais eficiência, e aí sim colocar aos poucos o seu potecial a favor da empresa.

No caso de você dirigir pessoas muito inferiores a você nos aspectos pessoal e profissional a estratégia é a mesma, ainda que mais simples por você estar no comando. Porém, faz-se necessário usar de maior clareza, maior nível de detalhamento e menor velocidade na introdução das mudanças, pois o que para você é um fato muito comum, para ele é uma grande e obscura novidade. O segredo é a paciência... no degrau que você está, ele pode levar muito tempo ainda para chegar, se chegar.

O maior segredo é estar seguro de si e desenvolver pessoas seguras. Quem tem medo de ensinar e de discutir trabalho em grupo certamente está inseguro, pode ter medo de sua própria capacidade, medo de alguém ou do potencial de crescimento de alguém.

Vigiai para que torne-se um bom patrão e também um bom empregado...