quinta-feira, 6 de maio de 2010

Como blindar seus melhores funcionários para que não troquem de emprego

Outro dia participei de um fórum de discussão onde o autor lançou a seguinte pergunta: Com o mercado aquecido, como blindar os melhores profissionais do assédio do mercado?

É muito simples: hoje troca-se de emprego até para ganhar menos, desde que se ofereça qualidade de vida ao pobre colaborador.

Foi o tempo em que bom emprego era aquele onde se ganhava muito... hoje as pessoas precisam de mais tempo com a família, com os filhos, e até consigo mesmo.

Troca-se de emprego para sair da capital e morar no interior, para chegar em casa com menos de 20 minutos de trajeto...

Troca-se de emprego para ser respeitado como pessoa, para ser compreendido como um pai ou mãe de família. É por isso que nos EUA a moda é o home office. Ficar na empresa se matando por dinheiro já não dá mais prazer.

Chega de ir ao McDonalds para almoçar em 30 minutos, lá é lugar de passear com a família depois do trabalho, depois de um bom banho, lá pelas oito e meia da noite. Quantos aqui conseguem chegar em casa antes das 20h30? Quantos aqui conseguem buscar seus filhos na escola?

Não adianta a empresa lotar o executivo de benefícios, que inclusive custam caro, se a felicidade do profissional como pessoa não for considerada.

A solução desse problema  é mais barata do que se possa imaginar... os empresários é que não conseguem ver isso, pois estão cegos pelo dinheiro que seus vassalos lhes proporcionam trabalhando na condição de androides como se fossem incansáveis e desprovidos de sentimento. É por isso que trocam de emprego, o dinheiro é apenas um detalhe."

Estou me especializando em falar demais...