sexta-feira, 12 de março de 2010

Fui demitido. E agora?!

Calma pessoal, não se assustem!! Está tudo bem aqui em meu novo job, esse título não passa de uma idéia que tive para compartilhar com vocês algumas opiniões que deixei num fórum de um amigo que abordava os sentimentos de quem teve sua carreira interrompida por uma demissão.

Como fica a cabeça do cidadão após uma demissão? Nesse momento devemos lembrar que somos parte emoção e parte razão, e canalizarmos todas as energias para a razão: onde foi que eu errei?

Se fui demitido injustamente, faltou-me poder de argumentação; se fui demitido por boicote, faltou-me aprimorar meus relacionamentos internos; se fui demitido por falhas seguidas, faltou-me maior atenção ao trabalho... e assim por diante. A demissão deve trazer-lhe lições, e não apenas aborrecimentos.

Há também a demissão por corte de despesas. Essa é a demissão mais perigosa de todas, aquela que requer uma revisão de carreira e no desenvolvimento pessoal/profisional, para que seu trabalho não venha a ter uma característica descartável ou de baixa relevância.

O próximo passo será o de preparar-se para as próximas entrevistas de recrutamento para que os motivos da última demissão não sejam argumentos citados por você contra você mesmo, pois uma coisa é certa: alguém vai lhe fazer essa pergunta indigesta.

O seu poder de persuasão, convencimento e segurança serão os grandes diferenciais no momento de uma seleção. E lembre-se também que é muito mais fácil trocar de emprego do que buscar um novo emprego... Se você ver que a batata vai assar para o seu lado, seja por falta de recursos da empresa ou seja por alguma das razões que já descrevi, comece a nova busca e saia de cabeça erguida, antes que seja tarde demais.

Sucesso a todos!!