terça-feira, 6 de outubro de 2009

A arte de observar para aprender e agir no mundo dos negócios

Um amigo da comunidade Exame PME, Felipe de Barros, lançou um texto para discussão que achei muito pertinente, intitulado "As 10 faces da Inovação?".

Lançou a seguinte questão: "Desaprenda, reaprenda." Acabo de ler estar frase, agora estou pensando, por exemplo: "Quanto tempo gastamos em uma iniciativa de atrair mais clientes"? As empresas precisam começar a ouvir pessoas diferentes dos tradicionais administradores?

Dei meu ponto de vista:

De fato , Felipe, as pessoas precisam reaprender e praticar um pouco daquilo abordado num dos livros mais vendidos do mundo, "A arte da guerra", onde o inusitado e o surpreendente têm mais chances de sucesso do que o exaustivamente pesquisado... Parece contraditório, mas o método da investigação participativa e estatística pode oferecer ganhos em criatividade e ação muito poderosos, pois explora a ação legítima e espontânea das pessoas. Paco Underhill está assaz milionário vendendo seu livro "Vamos às compras" que mostra exatamente isso.

Enquanto alguns assistem a CNN, o Discovery Channel e a HBO, outros assistem a Disney Channel, Discovery Kids e MTV para saber o quê e quem pode influenciar o público infanto-juvenil. Enquanto alguns contratam pesquisas de centenas de reais para saber o que as crianças querem, gostam ou pensam, outros frequentam as escolas, lojas de brinquedos e parques infantis e obtêm sem custo nenhum as mesmas respostas, apenas observando e escutando...

Quem tem o hábito da observação, estará um passo a frente dos demais. Almoçar todo dia observando a roupa, o relógio, o sapato, o penteado, os alimentos do prato e os gestos das pessoas oferece um conteúdo poderosíssimo sobre o comportamento da sociedade por classe social. É simples, gostoso, conclusivo e barato... Outra dica de leitura: "O corpo fala" ou "Desvendando os segredos da linguagem corporal". A sociedade está todo dia bem à nossa frente, é só observar e aprender com ela.