segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Abordagem ao consumidor no ponto de venda

Muitas indústrias utilizam o recurso da promotora de abordagem como ferramenta de venda nos supermercados do país.

O que muitos não fazem é desenvolver um roteiro para que a abordagem seja realmente construtiva, ou seja, origine a venda de fato do produto divulgado e provoque o interesse espontâneo do consumidor nas próximas compras.

É muito fácil convencer alguém a comprar 5 itens para concorrer a uma casa, um carro ou uma viagem a Paris. Mas ao término da promoção, esse consumidor continuará a ser seu cliente? Seu produto vende pela qualidade e aceitação ou vende durante a troca de interesses no momento da promoção?

E faço nova pergunta: seu produto vende por impulso após a degustação/experimentação ou vende porque seu promotor conseguiu ser claro e persuasivo o suficiente para o consumidor tornar-se um cliente fiel?

A receita é simples, mas demanda estudo do mercado, dos produtos similares, das características do seu produto, e principalmente CRIATIVIDADE.

O ponto principal é: você consegue demonstrar um benefício percebido do seu produto em relação ao consumidor? Ou seja, você consegue fazer o consumidor visualizar a vantagem do seu produto em sua vida ou a abordagem no pdv perderá sua força assim que um concorrente similar aparecer em oferta?

Se a abordagem dos promotores não forem devidamente preparadas para que o consumidor se torne cliente, ou seja, que ele esteja convicto de que aquilo vale o quanto custa e satisfaça com equilíbrio seus critérios de custo x benefício x valor agregado, certamente você será refém do trabalho de abordagem se quiser manter um nível regular de vendas, sob o risco de ser presa fácil da concorrência de preços.

Bons negócios!!