sábado, 14 de agosto de 2010

Justin Bieber está dando certo, e não é por acaso

Engraçado como alguns artistas ou personalidades surgem assim de repente e viram destaque na mídia. A mídia é movida por audiência, e quanto mais alguém agrada ao público mais também é explorado pela mídia. E nessa bola de neve um artista pode sair do anonimato ao estrelato em tempo recorde.

Esse é o caso do fenômeno canadense Justin Drew Bieber, ou simplesmente Justin Bieber.

Justin nasceu em 1994, e alguns de seus vídeos pessoais postados no Youtube foi visto por Scooter Braun, que o procurou, agenciou e o levou para Atlanta-EUA, onde em novembro de 2009 já estava lançando seu primeiro álbum - My World - por Usher através de sua gravadora. Antes disso, 4 singles foram lançados e o mais incrível é que todos eles conquistaram o top 15 na Canadian Hot 100 e o top 40 da Billboard Hot 100, fato inédito em toda a história da música no cenário norte-americano.

Mas a pergunta é: por que é que Justin Bieber deu certo? Alguns fatores contribuíram, e dentre eles destaco que Justin aos 12 anos já cantava em concursos da escola; ele não apenas cantava, mas prendeu a tocar guitarra, bateria, piano e trompete; Justin dança, e não é pouco; ele interpreta... sim, Justin sabe se comunicar oral e corporalmente com o público, e isso é um atributo que muitos projetos de artista não sabem fazer; Justin está na moda. Ele não faz moda, ele está na moda. Veste-se e anda como os garotos de sua idade, sem adereços, cacarecos ou roupas com mensagens revolucionárias estampadas; ele anda de skate e joga basquete, e joga bem um dos esportes que é paixão na América do Norte.

Em outras palavras, Justin Bieber é a imagem projetada da aspiração da juventude: ele é jovem, bonito, simpático, inteligente, se veste bem, é rico, famoso, amado por uma multidão de fãs e influente inclusive no meio artístico.

Você deve estar pensando que sou fã de Justin. Não sou. Conheci o artista semana passada num programa de TV e me assustei com minha desinformação, pois o garoto já estava com a carreira consolidada, pensando em escrever sua biografia (com 16 anos, pasmem!) e eu praticamente não sabia nada a respeito. Sou fã de Ian Anderson, Professor Longhair, Bobby Bland e B.B. King, entre outros.

Mas não podia deixar de explorar a história desse garoto sob o ponto de vista mercadológico e artístico. Ele se tornou de fato um fenômeno de mídia, e não foi por acaso. Ele tem atributos, mesmo assim tão jovem, para ser um artista de sucesso...