quinta-feira, 21 de maio de 2009

O choro de Maisa, uma lição aos pais e mães

No ar há meses, a menina Maisa, de 6 anos, fez sucesso. Chamou a atenção da mídia brasileira e foi também responsável por levantar a audiência do SBT com seu comportamento diferenciado de crianças da mesma idade. Porém, um acesso de choro transformou a participação da apresentadora em assunto do Governo.

Por isso, o Ministério da Justiça advertiu o SBT nesta semana por conta da exibição do choro da menina, durante a exibição do "Programa Silvio Santos". Em nota oficial, o órgão afirmou que o programa pode ser reclassificado de dez para 12 anos, por "expor pessoas a situações constragendoras, com o agravante de envolver uma criança".

De acordo com o procurador da República Pedro Antonio de Oliveira Machado, nomeado na última terça-feira (19) para acompanhar o caso, não é necessário tirar a menina do ar. Para Machado, a emissora deve ser punida para evitar que ocorram mais abusos contra crianças. "O que a rede passa para o telespectador é que houve uma situação aflitiva vivida pela criança. A emissora pode até dizer que estava tudo combinado, mas, ainda assim, a exploração indevida da imagem da criança ocorreu", afirma à Folha.

Segundo informações publicadas pela coluna Outro Canal, o procurador deve propor uma ação com pedido de indenização. Machado ainda ressaltou que é possível que o Ministério Público Estadual atue no campo penal e investigue os pais da menina.

Procurado, o SBT prefere não comentar o assunto e diz ainda não ter recebido notificação oficial do Ministério.

O lado psicológico

Para a psicóloga infantil Tahis Guimnarães, não foram impostos limites à Maisa. "A menina abusa e o Silvio Santos abusa de volta", explica. "Há uma escalada de agressão e todo mundo vê e bate palma. Não é colocado limite a Maisa porque o público quer ver o circo pegar fogo", diz em entrevista à Folha Online.

Maisa é conhecida por ridicularizar os telespectadores do "Sábado Animado", programa que comanda às manhãs. Além disso, ganhou fama pelas brincadeiras com o patrão Silvio Santos: destaque para a ocasião em que ela puxou a peruca de Silvio e a declaração de que o empresário dormia no formol.

O Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Paulo estuda também tirar do ar o quadro "Pergunte para Maisa".

Guimarães considera a medida apenas paliativa. "Acho que muita coisa precisa ser feita. Não adianta só tirar do ar. A Maisa não faz ideia do que está acontecendo." (Fonte: Redação Adnews)

Agora, sob meu ponto de vista, essa criança sofre uma carga de estrelismo e responsabilidade para com o seu contratante (SBT), o que a colocou claramente em situação conflituosa consigo mesma, expondo seus medos, sua insegurança e seu compromisso para com o programa e com Silvio Santos.

No lugar do pai e mãe dessa menina, esse seria um momento propício para interomper a carreira. A não ser que eles projetem nela suas frustrações e anseios por aquilo que nunca foram ou que um dia já sonharam ser. Estudar, crescer, sorrir e brincar é o que deve ajudar no desenvolvimento de Maisa. A falta de responsabilidades para com o público e promoção da própria imagem será importantíssimo para o desenvolvimento intelectual e emocional da criança. O amor da família deve lhe bastar para os próximos anos... dinheiro agora não.