quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Cap. 10: Em busca da essência da profissão

Afrânio já sentia no corpo o cansaço de um ano de trabalho, e planejava tirar uns 15 dias de férias para descanso. Mas sentia-se incomodado com o fato de estar entrando num novo ano e com a necessidade de reciclar a equipe de trabalho das lojas, departamento por departamento, para que 2011 pudesse ser melhor trabalhado do que 2010 pelos profissionais de operações.

E essa inquietude tomou conta de sua mente, onde pairava aquela pergunta: que tipo de abordagem poderia ser usada para fugir do senso comum, de tudo aquilo que vinha sendo passado nas reuniões e no dia a dia no interior das lojas?

A mente começou a trabalhar em busca do âmago da questão, em busca da essência de cada função desempenhada. O que poderia ensinar as pessoas a mover-se por conta própria, sem precisar ser sempre lembradas e cobradas a fazer isso ou aquilo, adotando um critério de prioridades... prioridades... prioridades... sim, PRIORIDADES!!!

Claro, a palavra de ordem era ensinar o trabalho baseado em prioridades, como em qualquer profissão! Como iniciam-se os procedimentos dos para-médicos ao chegar em um acidente e atender a vítima? Com a regra das prioridades: 1 – verificação dos sinais vitais; 2 – verificação da lucidez; 3 – imobilização do pescoço e medição de pressão arterial. (talvez não fosse exatamente assim, mas não era o que importava). Toda profissão de rotina é executada mediante uma ordem, uma ordem de prioridades!

Assim Seu Afrânio começou a rabiscar sua preleção para uma das funções dos supermercados. A função de Repositor de hortifrutigranjeiros:

Prioridade 1 – Sortimento + Preço. A alma do negócio é a exposição de todo o produto disponível ao consumidor, com preço bem claro e visível. Loja com falta de produto, aquilo conhecido como “ruptura”, é loja sem padrão de atendimento, denominação que os Supermercados Feijão com Arroz não desejam ter. Foco no abastecimento de todo o mix cadastrado é a maior prioridade de um supermercado.

Prioridade 2 – Qualidade de produto + Qualidade visual. O produto para vender-se deve estar com aspecto impecável, seja em sua qualidade como perecível, seja em sua aparência no local de venda, incrivelmente limpo e confiável. Lugar de produto machucado é no cesto de descartes. Na área de vendas só deve ficar o que estiver com aparência encantadora e dentro do prazo de validade.

Prioridade 3 – Quantidade. A área de vendas deve oferecer aspecto de fartura, sempre cheia e com muitas opções de escolha em todo o período em que a loja estiver aberta ao consumidor. Área de vendas com pouco produto dá a sensação de fim de estoque, e ninguém gosta de comprar as "sobras". Portanto, quantidade é a terceira prioridade do abastecimento.

Ao término dessas 3 prioridades ficou claro que essa linguagem aplicava-se a todas as funções relacionadas a vendas de produtos. Afrânio sorria por dentro, e sua satisfação era visível com o fato de ter encontrado aquela que seria a sua nova empreitada para os próximos dias. Levantar os gráficos de desempenho de vendas por departamento, apresentá-los à cada equipe e ensinar-lhes uma rotina prática de trabalho baseada na técnica das Prioridades Funcionais.

Seu Afrânio correu para o computador. O cansaço deu lugar à disposição e as férias foram instantaneamente esquecidas...