quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Ter talento é o suficiente para se obter sucesso?

Numa interessante enquete levantada pela amiga Andrea Skipka num forum de debates de uma das comunidades em que participo, foi questionado:

"O sucesso depende mais do talento do indivíduo ou da conjuntura dos fatos?"

Ao que esse palpiteiro respondeu:

"Andrea, acredito que se você tiver talento mas estiver submetido a uma gestão conservadora, corre o risco de ficar estagnado e não ser melhor aproveitado. Pois antigamente um bom profissional era aquele que seguia a cartilha do chefe. Hoje, o bom profissional é aquele que questiona a cartilha do chefe, com abertura para isso... Portanto, a conjuntura é altamente relevante para o sucesso individual.

"Sorte é estar capacitado e preparado para quando a oportunidade bater à sua porta". O sucesso é consequência..."

No decorrer das opiniões ainda fiz mais uma consideração, baseado em minha veia futebolística:

"Vou criar agora um nó tático, pois acho que isso ilustra bem o contexto.

Se o talentoso é capaz de fazer o resultado independente do meio, por que é que Luxemburgo e Muricy, reconhecidamente talentosos, não deslancharam com seus clubes, ao contrário de Ricardo Gomes e Cuca de currículos bem mais acanhados?

Será que, ao contrário do que parece, algumas adversidades nos clubes foram suficientes para obstruir o talento desses treinadores, e aí sim concordamos que a conjuntura de fato impede o sucesso até do talentoso?"

Após essa colocação recebi um questionamento de Izabel C. de Oliveira:

"Olá Adriano, para responder sua pergunta, deixo outra: Quem vem primeiro, o ovo ou a galinha?"

Ao que concluí assim:

"rsrsrs... mesmo parecendo irrespondível, apostaria que sem a galinha o ovo sequer seria chocado para desenvolver o novo animal. Por isso acredito que sem uma boa estrutura em volta dele, até o talentoso teria alguma dificuldade em obter sucesso e sair da casca."

Afinal, quem nunca se sentiu um peixe fora da água, sendo impedido de se desenvolver ou até de apresentar um pouco mais daquilo que é capaz no contexto?

Acredito que o talentoso dificilmente irá aflorar se não tiver um pouco de liberdade. Em compensação, se o contexto for favorável, será propício para despertar talentosos latentes, mal aproveitados e até desconhecidos. Quem é que nunca olhou para alguém um dia e disse "e não é que o cara é bom?!" Tudo é uma questão de oportunidade e coragem...